Sobre a Harmonia Subjacente dos Gênios

O Amor (no sentido mais amplo – não romântico) é harmônico com a Eficiência, a Alegria e a Criatividade.

Essas três primeiras são expressões da Verdade (humana).

A Criatividade brota da Verdade e faz brotar Verdade.

Só a Verdade é.

A Excelência não é fruto de outra coisa que não o Amor.

Nenhum gênio criou por obrigação ou qualquer motivação diferente de Amor.

A Excelência em qualquer área é sempre neta do Amor e filha da Disciplina.

A única vida que vale ser vivida é a própria. Qualquer outra vida é falsa, mentirosa.

Sendo mentira, não é.

Não sendo, estamos mortos.

So é vivo quem vive a si mesmo, portanto, vive o Amor.

Do Amor nasce a Disciplina,

E a Alegria se expressa e resulta a Eficiência.

Porque o Amor é expressão da Verdade.

E voltamos a primeira linha.

 

* em agradecimento aos meus amigos, amigas e à minha família. Por me lembrarem de mim mesmo.

Ensinamentos de Mestres

Um grande amigo e mestre MÁRCIO ATALAIA, me ensinou sobre o mestre MARCO NATALI, que, generosamente, ensina em seu livro O ESPÍRITO MARCIAL (pág. 115 e 116)

 

“Aquele que tenta ser bom porque quer ganhar o céu, não é bom, é como a prostituta que se vende.

Aquele que evita ser mau porque não quer ser condenado ao inferno, não deixa de ser mau, é um covarde que se comporta porque teme.

É típico do fraco colocar a responsabilidade de sua própria felicidade sobre os ombros de alguma coisa externa a si mesmo.

[…]

A morte nada significa, pois enquanto vivo ela não existe e quando ela chegar eu cesso de existir.

Para mim, ser feliz e viver o aqui e o agora, sem apegos e sem culpa.

O que me permite ser feliz é a minha capacidade de escolher.

Han Ryner diz:

‘A felicidade é um estado de espírito em que me sinto perfeitamente livre de todas as servidões e em perfeito acordo comigo mesmo'”

 

Gratidão eterna aos meus amigos e mestres, que nos ensinam a ser quem somos.

CINZA

Não gosto de palavras,

Eu sou Silêncio.

Covardes fazem alarde…

 

A crueldade é tediosa,

O ódio é maçante,

O medo, deselegante.

 

Eu não sou a destruição, que é patética.

Eu não sou a hostilidade, que é… mais patética.

Não sou a Morte, que é só para vivos.

 

Eu sou irmão da Fúria e do Silêncio,

Meu Pai é Vontade,

Minha Mãe a Sobriedade.

 

Não me agrada a destruição porque não quero ser algo que gera outra coisa.

Eu sou a Aniquilação Completa.

A Extinção do que foi e do que será.

O Extermínio de tudo o que não deve ser.

A Onda Silenciosa da Não-Existência.

 

O gosto pela quietude,

A Vontade de Devastar.

O que você não pode lutar.

 

 

*** Um Beijo p Tití, minha amiga.

Para as que Amo

Escrevo hoje porque Quero.

Porque quero guardar os vestígios dessa Paz.

Como se guardam fotos.

Da Paz de saber que hoje foi um bom dia para ser vivido.

De saber que a minha Paz traz Paz à árvore da qual sou fruto.

E que a minha Paz veio dos meus irmãos, irmãs e amores.

De me lembrar, aqui, longe de casa, que são muito poucos os motivos que valem o sacrifício da Paz.

Que poucas coisas valem a Guerra e o Combate.

Que poucas coisas precisam custar isso.

(Mas algumas precisam)

Que a minha Paz é mais Forte.

Que quero espalhá-la.

Que você esteja em Paz.

Hoje tudo esta bem; como sempre, mas como nem sempre vemos.

Que o maior Valor é a Lealdade – acima da Paz.

Que o pior e o melhor do mundo são as Pessoas.

Nada é tão vil, e nada é tão iluminado e puro.

As coisas são.

Grato a Você.

Grato a Vida.

Lealdade.

Sobre o reconhecimento da Verdade

É a minha absoluta e completa Impotência diante de certas coisas

Que faz com que minha “Alma” se canse

E os Anjos ensinem.

E a minha Consciência possa reparar na Beleza Singela da Existência.

Não somos deuses porque seríamos mimados.

Mimados onipotentes seríamos eternamente cegos a tudo o que não somos.

Absolutamente burros.

Foram necessárias cinco horas de espera impotente e trinta e oito páginas de sabedoria,

Para me fazer degustar um café e contemplar as nuvens.

 

Aeroporto de Guarulhos, Dezembro de 2015

Sobre o “Ser”

Se tudo fosse absolutamente desnecessário,
Todas as pressões fisiológicas,
Todas as demandas sociais,
Todas as obrigações afetivas,
Todos os esforços mentais,
Se tudo fosse abolido,
Se nada lhe restringisse,
Nada lhe obrigasse,
Se tudo fosse abundante a você,
Se você fosse absolutamente sincero consigo mesmo,
O que você faria?
O que faria por puro Amor à Ação?

Você sabe?

Esse é Você.

Sabe porque Deus é Mudo?
Porque se ele falasse nunca saberíamos que somos parte Dele.